BLOG

PALHETAS VANDOREN

As Palhetas Vandoren são  sem duvidas uma das maiores Fabricas e produtoras de palhetas mundiais.
Também possui uma linha vasta de palhetas, que passarei a expor logo abaixo.
Site Oficial
http://www.vandoren.com/en/ANIM/index.html

Em 1930 o senhor Eugene Van Doren inicia sua produção de palhetas para não parar nunca mais.


Vandoren Caixa Azul, ou Tradicional.

Usada para O Som Erudito.


A Palheta foi desenvolvida pra produzir uma qualidade de som extremamente puro, devido a ponta mais fina (a área da palheta que apresenta maior vibração) e uma coluna sólida (maior quantidade de cana), seu som é o mais realista possível.

Essa palheta além da ponta mais fina possui um "coração" mais espesso, resultando numa articulação viva de sonoridade cheia e rica.

As palhetas para Saxofone VANDOREN são as palhetas favoritas dos saxofonistas clássicos, mas vemos Saxofonisas como Jay Beckenstain (SpyroGyra), Erick Marienthal usando essa palheta, justamente para dar uma "quebra" no brilho do som.

É uma sugestão para quem trabalha com boquilha brilhante e gostaria de atenuar a estridencia.

As palhetas Tradicionais da Vandoren são produzidas do #1 ao #5.

-------------

Vandoren Java

É uma das mais usadas pelos saxofonistas, mais flexível que as Tradicionais e as V16.

Esta palheta vibra numa longa superfície e cria uma sonoridade brilhante com resposta imediata.

As palhetas Java foram desenvolvidas pela Vandoren em 1983 para jazz e música popular.
Apresenta uma extremidade mais grossa e uma lingüeta mais flexível do que a palheta Tradicional, o que permite a vibração sobre uma área de superfície maior com um máximo de elasticidade.
Este tipo de coluna vertebral dá ao músico uma maior flexibilidade de toque, como resultado do fato de a zona de elasticidade ser muito grande.

As palhetas JAVA da Vandoren são produzidas do #1,5 ao #5.
Nelson Rangell, Bobby Watson são saxofonistas que usam essa palheta.

--------

VANDOREN V16


A V16 têm o "coração" de espessura média (mais do que as Javas mas menos do que as Tradicionais) com um perfil desenhado para produzir um ataque forte de sonoridade rica e profunda.



Lançadas em 1993 para dar resposta à procura de alguns músicos de jazz americanos (uma com ainda mais madeira), as palhetas V16 possuem uma ponta mais grossa do que as palhetas VANDOREN tradicionais.

Esta palheta é mais leve que a Tradicional na ponta, e tão rígida quanto, no centro. As palhetas V16 da Vandoren são produzidas do #1,5 ao #5.
Joshua Redman é um bom representante dessa palheta, pois usou muito tempo essa palheta. (na data deste texto, ele está usando no Tenor a Palheta Alexander Superial e NY 4.

------------

Palhetas Vandoren ZZ

Essa palheta é usada para o Jazz. A ZZ caracteriza-se por sua raspagem diferenciada entre o coração e sua extremidade mais fina.

O resultado é uma palheta com um timbre extraordinário, com resposta imediata, equilíbrio e mobilidade entre os registros.

Eu diria ser uma palheta prima da JAVA, mas com um Som um pouco mais escuro. Ela tem um diferencial no Som quando do Inicio da Nota, que eu descreveria como um PUHHHH.

-------------

Vandoren 56 Rue Lepic


É uma palheta exclusiva para Clarinete - cuidado essa é só pra Clarinete, cuidado para não comprar errado .
(mas vou escrever sobre ela, pois vc pode deparar com ela por ai ... )



Esse nome esquisito, foi dado em homenagem ao endereço que a Vandoren está situada, é realmente na rua Lepic 56 em Paris, Franca, rsss. (parece mentira, mas não é).

Como ela é na prática, eu não sei porque não toco clarinete.

------------

Palhetas Vandoren V12
essa tem para Clarinete e Saxofone.

A palheta V12 foi especificamente desenvolvida para suprir as exigências dos clarinetistas, mas agora também é encontrada para Saxofones.
Ela tem um Som aveludado, mas com projeção. (pra mim, não timbra).

--------






 


Leia mais ›

LÉGÈRE

É uma palheta Sintética, que tem conquistado saxofonistas em todo mundo.

Ela assusta quando você a vê pela primeira vez.

Não tem beleza nem formosura, nem nada que nos faça desejá-la, mas ... Essa palheta é genial.

Ela Timbra.

Embora ela tenha uma “cara” assustadoramente plástica, ela Timbra ... tem Som e Gordo, mas com Uma Boa projeção, na onda Erudita. Ela se adéqua bem para outras propostas como o Jazz e até quem sabe o POP.

Eu gostei muito, usei na Dukoff D8 Sax Alto uma Legere 1 ½.

Ela é uma palheta mais dura que as demais.

Assim, se vc costuma usar uma n. 2 de cana, compre número 1 ½ que será a mesma coisa.

Acho que para quem estuda muito, ou dá aulas de Saxofone (como eu dava) é uma boa opção, pois a durabilidade dela é maior que a fibracell por ser de Plástico.

A minha está com dois anos, e com as mesmas características de nova. Talvez tenha amolecido, mas não percebi.

A numeração vai de 1 ½ a 5. ( no próprio site diz que ela é em media 0,5 mais pesada que as outras marcas).
 

MODELOS

A Légère classica ou tradicional – tem som escuro e é bem dura em relação às palhetas de madeira. Aqui na Europa, ela é usada ainda por muitos músicos para se tocar Erudito. Essa eu usei na Dukoff usava n. 1.5. Fica excelente.




A Légère Studio Cut é mais mole. Na prática, ela parece uma palheta de bambu para soprar, mas o Timbre já não é bom como a Légère Original.

 

Então recentemente, uns 5 meses mais ou menos, chegou aqui na Suíça a Légère Signatur.

É uma palheta de som ainda mais escuro, mas com projeção.

Essa eu gostei muito.

Gostei muito, do Timbre e tudo mais.
 

Acho que seria a melhor das Légère, mas tudo isso é relativo, questão de gosto ... o ideal seria experimentar mesmo.


Site Oficial http://www.legere.com/
 


Leia mais ›

BARI

Bari

Queridos, a Bari (tradicional ou Original) não sei direito o que escrever sobre ela.
Eu não gostei muito da Bari. Mas conheço músicos que gostam muito.

Eu testei, e tentei usar por uns 3 meses mas não deu. Tocava com Claude Lakey e Dukoff.

Eu usei as duas Baris, ... a primeira detestei (original) ... acho que não deu certo o projeto deles, a impressão que dá é estar tocando num cano de PVC ... literalmente. (essa é minha opnião ok? Não estou desmerecendo a Marca ou seus usuários).

Já a Bari Star é “engolível” , ou seja, dá pra tocar, mas ... na minha opinião ela não timbra ...

É vendida como sendo um palheta de som escuro, mas estou procurando esse Som escuro até hoje. Rsss. .

Ela vai de 2 a 4,5.

http://www.bariwoodwind.com/gersite/reedsnew.html


Leia mais ›

‹ Posts recentes

CATEGORIAS

ARQUIVOS

© 2019 Lander Sax. Todos os direitos reservados. LanderSax